sexta-feira, maio 11, 2007

...por um abraço

Há pequenas coisas que nos fazem tão bem.
Há sempre um dia em que nos conseguimos surpreender com uma pequena coisa boa da vida.
O tempo vai passando, calado, sorrateiro, queratinando os sentidos...
As rotinas frias constroem corais cinzentos de preocupações, que a pouco e pouco tolhem o corpo sob a forma invisível e invasora da dor mais aqui ou mais ali...
Até que basta um toque, um abraço, capaz de fazer desmoronar toda esta armadura asfixiante, libertando as boas energias, fazendo milagres...
Faz tão bem dar ou receber um abraço no momento certo, ... ou em qualquer altura.
Um abraço pode curar muita tristeza, muita ansiedade, e evitar muita 'doença'...
Porque as pessoas se afastaram tanto, porque se evitam tanto, porque é tão anormal um simples toque?...
Sem ter nada a ver com a campanha "Um abraço Grátis", (que também chegou aos 'morangos com açucar'), este fim de semana, e sempre, espalhem abraços, não custa nada e faz bem tanto a quem dá como a quem recebe
...(experiência)... ._.

6 comentários:

Mila disse...

É mesmo ..."A vida é feita de pequenos nadas"
Grande bjoca

Mila disse...

Concordo plenamente.No tempo dos meus avós as pessoas quando se cruzavam na rua davam uma saudação...agora todos andamos aos empurrões e na urgência de viver nem pedimos desculpa, ninguém se olha...(Mas ,é complicado ,mostrar os sentimentos a estranhos, o receio fica sempre no comando) Recebe este abraço muito virtual,mas tu sabes como é daqueles que até fazem estremecer o planeta.
Sabes, eu dou sorrisos, e por vezes também os retribuem.
Sê feliz***

Anónimo disse...

Está lindo este abraço, parabens.

Plum disse...

Um abraço cheio de magia para ti!!!*

eu... disse...

um abraço é para mim um dos gestos mais "fortes" que existem...
bjos

Sandokan disse...

A casa está vazia.
Subo as escadas e tu apareces,
às vezes,
com as cores do Outono.
Vejo um vulto, és tu
que me deixas uma marca
sobre a minha palidez.

Já não queres aprender
com o passado e só preferes
gritar, chegar ao fim da vida
para então descobrir
que não viveste.

Já não falas e não te moves,
e no entanto a minha vida estremece,
assaltada pelos teus gemidos profundos.
O pranto cresce nas ruas da amargura
porque abandonas a terra,
olhando para trás.
Então, agora vislumbras a beleza e a alegria que nunca tiveste,
porque os medos em que viveste
te impediram de ser feliz.
Os meus dedos continuam a fechar
os olhos...
dos guerreiros mortos.

Quero agradecer, respeitosa e sinceramente, a todos aqueles que fazem do "nosso"

http://lusoprosecontras.blogspot.com
um ponto de encontro onde a Amizade, a Paz e o Bem nos fazem sentir e viver a vida com mais AMOR.

BEM-HAJAM!


Felicito-te, também, por me presenteares com este teu maravilhoso blogue. Gosto muito de aqui "ancorar".