terça-feira, março 11, 2008

...é talvez

“É talvez o último dia da minha vida.
Saudei o Sol, levantando a mão direita,
Mas não o saudei, dizendo-lhe adeus,
Fiz sinal de gostar de o ver antes: mais nada. “

Alberto Caeiro

3 comentários:

Jardineira aprendiz disse...

Isso é que não!
:)

Pedro Viegas disse...

Crix, para tão bela flor, um poema mais ousado, em vez do Alberto Caeiro e sua constante tristeza.
Este Blogue merece mais alegria...!
JP

Crix disse...

Meus amigos, está tudo bem comigo e com o blogue...
E aqui está a prova que a poesia é uma arte como a pintura, em que cada um faz a sua leitura pessoal. E a leitura que eu faço desta quadra não é negativa , pelo contrário, é positiva, porque valorizei o último verso (e não o primeiro). Eu achei tão simples e tão bonito. Entendi que ver o sol hoje é bem mais importante do que amanhã estar cá ou não...
Abraços