quinta-feira, abril 26, 2007

...sobre as palavras

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca.
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.
Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto;
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.
De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas inesperadas
Como a poesia ou o amor.
(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído
No papel abandonado)
Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

Alexandre O'Neill, Há palavras que nos beijam

Há palavras bonitas, cristalinas, que bem conjugadas com outras palavras, compõem frases bonitas, cristalinas...
E há palavras que no seu conteúdo podem indicar amor, ódio, raiva, pureza, nojo, paz, carinho, coragem, indiferença, beleza, ou fealdade
Mas vazias não...
Vazias são as frases quando quem as conjuga não sabe ler os sentimentos contidos em si

6 comentários:

Mila disse...

...
Tantas palavras
Que eu conhecia
E já não falo mais, jamais
Quantas palavras
Que ela adorava
Saíram de cartaz
...(Chico Buarque)

sonhadora disse...

Esta tarde o sonho tinha o teu aroma.
Beijinhos embrulhados em abraços

Plum disse...

O maravilhoso O'Neill!!!
Abraços cheios de magia!*

Jardineira aprendiz disse...

Lindo!
ESpero que gostes das palavras que escrevi no meu blog, e que sem saber também respondem à tua nomeação!

Deixei um comentário ali embaixo.
Beijinhos!

A.J.Faria disse...

Olá, Crix!
Lindo poema de Alexandre O`Neill!
As palavras quando ditas sem sentido perdem toda a sua força, já quando ditas com convicção têm uma força enorme, capaz de mover os mais difíceis obstáculos.

Bjs

Eva disse...

só me apatece responder com um post que fiz no dia da poesia, até porque hoje a imaginação não voa muito:
"Para sentir a poesia não é necessário dia marcado.
Basta somente deixar aflorar os beijos das palavras.
Pois, as que são ditas ao coração, nunca se desfolham por mais forte que seja o vento."